03/11/2019 Marco Fabossi - Pense Duas Vezes (Liderança) -

Pense Duas Vezes (Liderança)

Existiu um lenhador que acordava muito cedo para trabalhar, e só parava tarde da noite. Esse lenhador tinha um filho de poucos meses, e também uma raposa, sua amiga, tratada como animal de estimação e de sua total confiança. Todos os dias o lenhador saía para trabalhar e deixava a raposa cuidando de seu filho.

Os vizinhos o alertavam que a raposa era um animal selvagem e, portanto, não era confiável. Quando sentisse fome, certamente comeria a criança. O lenhador, contudo, respondia que isso era uma grande bobagem. Ele confiava na raposa, e ela jamais faria isso. Mesmo assim, os vizinhos insistiam: “Abra os olhos! A raposa vai comer seu filho quando tiver fome!”.

Um dia, ao chegar em sua casa, deparou-se com a raposa sorrindo como sempre, mas com a boca ensanguentada. O lenhador suou frio e, sem “pensar duas vezes”, acertou a cabeça da raposa com o machado. Desesperado, ao entrar no quarto, encontrou seu filho dormindo tranquilamente no berço, e ao lado, uma cobra morta.


“Pensar duas vezes” é mais que uma frase popular. “Pensar duas vezes” é sinal de inteligência, inteligência emocional, maturidade e sabedoria, porque quando agimos apenas com base no primeiro pensamento, muitas vezes, iremos “quebrar a cara”.

O primeiro pensamento que, segundo os estudos da neurociência, acontece em aproximadamente 1/20 de segundo, é fruto de crenças, pré-conceitos, pensamentos e histórias que contamos para nós mesmos e, por aparecer tão rapidamente, é impossível de ser evitado. É o que os especialistas chamam de viés inconsciente. Por isso, ainda que muitos não gostem dessa constatação, segundo a neurociência, todos as pessoas são preconceituosas e, portanto, reagir ao primeiro pensamento, nem sempre é a escolha mais inteligente.

Bem, mas se por um lado não podemos evitar o viés inconsciente e o julgamento, de outro temos a chance de “pensar duas vezes”; de permitir que o pensamento consciente nos ajude a evitar o julgamento de valor, evitando que ajamos apenas com nossas próprias histórias, que nem sempre são verdadeiras.

Por isso, entre estímulo (primeiro pensamento) e resposta (reação) existe a chance de “pensar duas vezes”. Não é algo fácil em algumas situações, principalmente quando fortes emoções fazem parte do contexto, mas lembre-se: autocontrole não é destino, mas uma escolha consciente, fruto da oportunidade que damos à nós mesmos de “pensar duas vezes”, e agir de maneira mais justa, inteligente e assertiva.

E se você é líder, evite liderar com base em histórias que você ou os outros contam pra você, porque todas elas estão repletas de vieses inconscientes e podem levá-lo(a) a fazer más escolhas. Procure por fatos, dados e informações antes de tomar decisões importantes. Nem tudo é exatamente o que parece ser, ou o que acreditamos ser. 

Pense duas vezes…

Em dezembro de 2019 acontecerá o lançamento do meu novo livro “O Fator Confiança” que trata da construção de relações de confiança na liderança. Conto com sua torcida e presença. Em breve mais informações, aguarde!

Um Grande Abraço,

Marco Fabossi

 


Voltar

Compartilhar

Todos os direitos reservados ao(s) autor(es) do artigo.

×