Logo

Artigos - Visualizando artigo

Professor Doutor Antonio de Loureiro Gil - "A FRAUDE / A CORRUPÇÃO"

"A FRAUDE / A CORRUPÇÃO"

 

 

{C}Ø  {C}RESPONSABILIDADE DE STAKEHOLDERS

{C}Ø  {C}REVISÃO DO CONTROLE INTERNO VOLTADO

{C}Ø  {C}AO "CICLO DE VIDA DO DOLO"

{C}Ø  {C}O COMPORTAMENTO PROFISSIONAL E

{C}Ø  {C}A CULTURA ORGANIZACIONAL

{C}Ø  {C}A PARTICIPAÇÃO ECUMÊNICA NO COMBATE

{C}Ø  {C}A FRAUDE E A CORRUPÇÃO

 

(O CONTEÚDO DA FORMALIZAÇÃO - PLANOS; NORMAS; CONTRATOS; DOCUMENTAÇÃO DE TI -- DO PROCESSO / PRODUTO)

 

 

 

QUESTÃO:

 

 

 

"A GESTÃO DE EVENTOS DE FRAUDE E DE CORRUPÇÃO É RESPONSABILIDADE DE STAKEHOLDERS?"

 

(COIBIR; IDENTIFICAR; CORRIGIR AÇÕES DE DOLO)

 

 

 

{C}§  {C}INTRODUÇÃO

 

 

 

Os Stakeholders são responsáveis por coibir, identificar e corrigir eventos organizacionais dolosos e devem atender á variável "governança da qualidade da sustentabilidade" como forma de cuidar do negócio na perspectiva de seu horizonte "presente / futuro".

 

Esta visão necessita de práticas / de usar metodologias para gestão (decisão) ou auditoria operacional e da gestão (revisão) que contemplem situações anômalas / fora de normalidade de natureza:

 

-- dolo (fraude; corrupção; roubo; furto; sabotagem; terrorismo; etc).

 

A agressão ao ativo intangível de natureza "fraude", associada ou não a corrupção, é uma ação organizacional desgastante.

 

Portanto, incorporar procedimentos ao processo / produto organizacional para coibir, identificar, corrigir ações de dolo de natureza fraude ou corrupção é determinante para o sucesso das entidades privadas ou governamentais ----  a visão do controle interno no foco.

 

 

 

OBSERVAÇÃO.

 

 

 

{C}Ø  {C}"O RISCO PATRIMONIAL DIANTE DO DOLO (FRAUDE; CORRUPÇÃO) É RESPONSABILIDADE DE TODOS OS STAKEHOLDERS E DEVE SER MENSURADO NA PERSPECTIVA DO CONTROLE INTERNO ---- O CONTEÚDO DA FORMALIZAÇÃO (PLANOS; NORMAS; CONTRATOS; DOCUMENTAÇÃO DE PROJETOS / DE SISTEMAS / TI) DO PROCESSO / PRODUTO ORGANIZACIONAL EM AÇÃO."

 

 

 

O desenvolvimento e a aplicação por gestores, profissionais especializados e analistas de compliance de processo / produto organizacional, o qual é objeto do controle interno, impõe considerar o dolo (fraude e corrupção) como variável a exigir procedimentos de controle explicitados como tarefas para servir de provas futuras de práticas dolosas ou de conivência por atores organizacionais ---- omissão, adulteração, descumprimento intencional de práticas e resultados organizacionais com objetivo de obter vantagens indevidas no foco.

 

A gestão e operação e a auditoria da gestão e da operação do sistema de controle interno compreendem trabalhar a formalização de procedimentos e resultados inerentes ao processo / produto organizacional na visão do dolo (fraude ou corrupção).

 

 

 

Projeto de atualização do controle interno e de metodologias da gestão, operação e auditoria do negócio privado ou governamental com foco no "dolo" (fraude ou corrupção) são um "must" para organizações que buscam excelência técnica - operacional.

 

 

 

Ø  {C}MUITO IMPORTANTE.

 

 

 

O CONTROLE INTERNO É ENTIDADE PARA SINTONIA MÁXIMA "COMPORTAMENTO PROFISSIONAL COM CULTURA ORGANIZACIONAL" ---- ÊNFASE ÁS BOAS PRÁTICAS DO NEGÓCIO.

 

 

 

{C}Ø {C}A LÓGICA E A PROVA DO ARGUMENTO.

 

 

 

A teoria da agência como norte para as estratégias e os projetos organizacionais impõe a variável "dolo" como responsabilidade de práticas e resultados do negócio determinando atribuições a diversas funções empresariais, tais como:

 

1 - Conselheiros de Conselhos de Administração ou Conselhos Fiscais.

 

Analisar contratos, estratégias e projetos empresariais com foco na variável "governança da qualidade da sustentabilidade" voltada para conluios, conchavos, acertos financeiros ou operacionais espúrios.

 

Especular quanto a atividades de lavagem de dinheiro, sabotagem, má condução intencional, para proveito próprio, dos negócios com prejuízos, principalmente, a stakeholders centrais (acionistas).

 

2 -- Executivos, Gestores e Profissionais Especializados da Engenharia do Processo da Logística ou da Controladoria.

 

Analisar variações acentuadas ou constantes de métricas monetárias (contadores e analistas financeiros) ou não monetárias (engenheiros, administradores, advogados, médicos e demais especialidades) de indicadores de desempenho ou de falhas com busca das justificativas de natureza "causa / efeito" e de indícios, evidências, provas de dolo no negócio.

 

3 - Executivos, Diretores, Gestores, Coordenadores e Profissionais Especializados da Engenharia do Produto.

 

Cuidar para que projetos não tenham práticas ou rotinas fraudulentas com possibilidade de prejuízo financeiro ou funcional intencional quando do desenvolvimento (falta de documentação, omissão de testes ou revisões, por exemplo) ou da operação (maquilagem da informação, mau funcionamento proposital) do plano ou do projeto com benefício / satisfação indevida para quem perpetrou a falha de natureza "dolo".

 

3 - Auditores, Consultores, Analistas de Compliance.

 

Revisar (1) modelo de negócio no tocante á teoria da agência, (2) conteúdo de planos, normas, contratos, rotinas e práticas do negócio nos momentos engenharia do produto e engenharia do processo.

 

As mudanças organizacionais são marco da sociedade, do mercado e da funcionalidade organizacional deste século XXI ativadas por inovação, rodízio, prioridade, pluralidade técnico-operacional, concorrência e disputas de hegemonia profissional e cultural com fortes reflexos no limite entre a falha acidental e a falha dolosa ---- a participação ecumênica das diversas funções organizacionais no combate a fraude e a corrupção no foco.

 

 

 

{C}Ø {C}MUITO IMPORTANTE.

 

 

 

{C}Ø  {C}NO HORIZONTE "PRESENTE / FUTURO", DOLO É EVENTO CONTINGENTE DE NATUREZA INTENCIONAL E COM CARACTERÍSTICA PREJUDICIAL AOS CENÁRIOS DO AMANHÃ ORGANIZACIONAL E COM RESPONSABILIDADE DE COMBATE POR TODAS AS FUNÇÕES ORGANIZACIONAIS.

 

 

 

O exercício das funções organizacionais é norteado pelo controle interno o qual deve incorporar tecnologias para combater o dolo de natureza fraude ou corrupção.

 

 

 

{C}Ø {C}CONCLUSÃO.

 

 

 

O exercício da lógica de combate a dolo (fraude ou corrupção) pelas diversas funções empresariais propicia a excelência financeira / técnica / operacional das organizações privadas ou governamentais.

 

A "governança da qualidade da sustentabilidade" é variável decisiva para combate a fraude e a corrupção ---- os fundamentos e a lógica da metodologia "CCM; DEQ; SWOT; BSC; PMBOK; BIN-MARCA PRÓPRIA" como referencial para o desenvolvimento e operação de metodologias organizacionais baseadas no controle interno voltado ao "ciclo de vida do dolo".

 

 

 

►VOCÊ TEM CERTEZA QUE O CONTROLE INTERNO DE SEU NEGÓCIO CONTEMPLA COMBATE AO DOLO?

 

 

 

Dê um "banho" de cultura gerencial e tecnológica do século XXI aos profissionais de sua organização privada ou governamental ou para os alunos de seus cursos de pós-graduação ---- contrate o professor Loureiro Gil e equipe para explanar ou desenvolver as abordagens discorridas no presente mini artigo.

 

O momento atual das organizações privadas ou governamentais vencedoras implica Incorporar nova lógica, práticas e tecnologias de combate ao dolo a seu sistema de controle interno.

 

A educação nos níveis de graduação, pós-graduação (extensão e especialização), mestrado acadêmico ou profissionalizante (MBA) ou de doutorado ---- nas faculdades e universidades privadas ou públicas, bem como, nas universidades corporativas ---- requer "combate ao ciclo de vida do dolo" (1) como prática essencial a conteúdos acadêmicos e (2) a incorporar em negócios / organizações vencedoras no século XXI.

 

 

 

{C}Ø  {C}O PROFESSOR GIL E EQUIPE POSSUEM A COMPETÊNCIA, A QUALIDADE PROFISSIONAL E A ABORDAGEM TECNOLÓGICA PARA DESENVOLVER, EXPLICAR E APLICAR AS IDÉIAS DISCUTIDAS.

 

 

 

Pesquisas, consultoria, trabalhos acadêmicos, palestras, seminários, disciplinas de pós-graduação (especialização; MBA; mestrado acadêmico; doutorado) são de importância definitiva para combate ao dolo como conhecimento e prática definitiva nos processos decisórios ---- o sistema de controle interno em ação.

 

 

 

4 - BIBLIOGRAFIA.

 

1 -- LIVRO "DESAFIO AOS DEUSES - A FASCINANTE HISTÓRIA DO RISCO"--AUTOR: PETER BERNSTEIN - (EDITORA CAMPUS) DO RIO DE JANEIRO - PRIMEIRA EDIÇÃO 1996 .

 

2 - LIVRO "GESTÃO: CONTROLE INTERNO, RISCO E AUDITORIA" - AUTORES: ANTONIO DE LOUREIRO GIL; CARLOS HIDEO ARIMA; WILSON TOSHIRO NAKAMURA - EDITORA SARAIVA DE SÀO PAULO - PRIMEIRA EDIÇÃO - MARÇO DE 2013.

 

3 - LIVRO: "CONTINGÊNCIAS EM NEGÓCIOS" - AUTOR: ANTONIO DE LOUREIRO GIL - EDITORA SARAIVA DE SÃO PAULO - PRIMEIRA EDIÇÃO DIGITAL - WWW.SARAIVAUNI.COM.BR -- 2012.

 

4 - LIVRO "BALANÇO INTELECTUAL" - AUTORES: ANTONIO DE LOUREIRO GIL; JOSÉ CARLOS ARNOSTI - EDITORA SARAIVA DE SÀO PAULO - PRIMEIRA EDIÇÀO 2010 E EDIÇÃO DIGITAL -- 2012.

 

5 - LIVRO "SISTEMAS DE INFORMAÇÕES CONTÁBEIS"--AUTORES: ANTONIO DE LOUREIRO GIL; CESAR AUGUSTO BIANCOLINO; TIAGO NASCIMENTO BORGES - EDITORA SARAIVA SÃO PAULO - PRIMEIRA EDIÇÃO 2011.

 

6 - LIVRO "GESTÃO DA QUALIDADE EMPRESARIAL" - AUTOR ANTONIO DE LOUREIRO GIL - PUBLICAÇÕES EUROPA - AMÉRICA DE LISBOA PORTUGAL - PRIMEIRA EDIÇÃO 2010 - Á VENDA NA LIVRARIA CULTURA ESQUINA DE AVENIDA PAULISTA COM A RUA AUGUSTA (SÃO PAULO - BRASIL).

 

7 - LIVRO "GESTÃO DE TRIBUTOS NA EMPRESA MODERNA" - AUTORES: ANTONIO DE LOUREIRO GIL; PAULO ROBERTO GALVÃO; FLÁVIO FERNANDES PACETTA; JOÃO ANTONIO PIZZO; JOSÉ EDUARDO MOGE; ROGÉRIO LEITE - EDITORA SENAC - SP - PRIMEIRA EDIÇÃO 2011.

 

8 -- LIVRO "MICRO EMPRESA: GESTÃO INOVADORA E DIREITO"--ARTIGO / CAPÍTULO "INOVAÇÃO E RISCO: O AMBIENTE DA GESTÃO DA MICRO E DA PEQUENA EMPRESA NO SÉCULO XXI" - AUTOR: ANTONIO DE LOUREIRO GIL - EDITORA ÁGORA-RJ -- PRIMEIRA EDIÇÃO 2015.

 

9 - LIVRO "AUDITORIA DA GESTÃO E DA OPERAÇÃO DO NEGÓCIO COM TI" - AUTORES: ANTONIO DE LOUREIRO GIL; CARLOS HIDEO ARIMA ---- EDITORA SARAIVA EDUCACIONAL ---- PRIMEIRA EDIÇÃO 2016.

 

10 - LIVRO "GESTÃO PÚBLICA MUNICIPAL DE ALTO DESEMPENHO" - AUTORES: ANTONIO DE LOUREIRO GIL; PAULO ROBERTO GALVÃO; ROBERTO DE OLIVEIRA JUNIOR ---- EDITORA JURUÁ-PR ---- PRIMEIRA EDIÇÃO 2016.

 

 

 

 

 

 


Voltar


Compartilhar

Todos os direitos reservados ao(s) autor(es) do artigo.